Caminhando ...
this site the web

Caminhantes

Aprendendo a Pensar


Observe uma criança recém nascida, ela ainda não sabe falar, mal consegue enxergar além do seu próprio nariz, e é completamente dependente dos seus pais ou responsáveis. No interior do seu cérebro existem apenas as informações necessárias para que seja capaz de exercer seu instinto, é por isso que ela sabe chorar, sabe expressar um desconforto físico. Para quem não sabe, um bebê não enxerga direito, seu sistema visual ainda carece de amadurecimento, e nessa fase, ele vê tudo embaçado, difuso, sem uma forma definida, até porque seu centro cerebral, o gerenciador de informações recebidas, ainda está se organizando.
Quem ou o que gravou em seu cérebro as informações instintivas, a chamada memória instintiva, isso não é assunto para ser discutido agora, mas graças a isso, ela sabe fazer “algumas” coisas, mesmo sem ter recebido instrução prévia, de nenhum adulto. Os demais animais, os irracionais, também funcionam desse mesmo modo.

Seus pais ou responsáveis, que já possuem uma razoável experiência de vida, que podem ser jovens ou adultos, já convivem em um mundo bem conhecido deles, com suas regras, suas anomalias, suas tradições culturais, suas crenças, suas ideologias políticas e religiosas, e assim por diante. O modo como estes “responsáveis” vão tratar essa criança, logicamente, vai depender do conhecimento que possuam. Se apenas conhecem o seu modo de cuidar das coisas, irão se valer dessa experiência, desse modo de agir e interagir, para cuidar do seu bebê.

As cantigas de ninar que cantarão para fazê-lo dormir, ou acalmá-lo, serão aquelas que já conhecem, que sabem cantar, mal ou bem, que também escutaram quando eles próprios eram crianças. Até ai não há novidade alguma, afinal de contas, todos agem da mesma forma, todos repetem aquilo que já aprenderam antes, essa é a lógica da coisa.

Mas, aquela criança, ainda não repetiu nada, não tem experiência de vida, por isso não possui memórias, que são as lembranças das coisas vivenciadas, experimentadas. Por isso, ainda não deseja, não sente raiva ou empatia, não é medrosa, nem guarda rancor das pessoas, ou planeja um futuro, qualquer que seja, para si mesmo.

Nessa etapa, as crianças, estão completamente vazias, por isso não pensam, mas já possuem o potencial para serem preenchidas, pelo pensamento dos outros. Conhecer a utilidade de uma coisa para depois decidir o que fazer com ela, isso é pensar, deduzir, e isso requer experimentação anterior, vivência, memorização, e como elas ainda não passaram por nenhuma dessas fases, não sabem para que as coisas servem, portanto, não pensam.

Mas a capacidade de pensar, isso elas já possuem. Capacidade de pensar é bem diferente de saber pensar. A capacidade de pensar é involuntária, é inata, não depende de memórias, nem de lembranças. O instinto é assim, não carece de experimentação anterior, mas existe. Saber pensar é coisa calculada, que requer memórias, lembranças de como as coisas funcionam, para que servem. O pensamento é um ordenamento das memórias, de modo que arrumadas de forma lógica, façam algum sentido, signifiquem alguma coisa, capaz de se expressar através de uma ação, do veículo, quer dizer, do indivíduo.

Assim, a capacidade de pensar, todo ser humano possui como potencial, e isso não depende de suas vontades, ou de aprendizado algum. Já para se construir um pensamento, esse mesmo ser humano, precisa de informações, precisa de experiência, necessita da lembrança das suas memórias. As memórias virão, serão formadas quando ele tiver experimentando as coisas do mundo. Quando estiver com todo seu sistema sensorial funcionando perfeitamente, pronto para receber, perceber e interpretar de forma clara, às impressões que lhe chegam do mundo exterior.

Interpretar nessa primeira fase, se resume a avaliar de forma clara, quando um objeto ou situação, embora não possam ser racionalmente compreendidos, podem ser capturados pelos seus órgãos sensoriais, isto é, ser percebido. Ela, a criança, ainda não possui intelecto, que são as memórias de sua experiência de vida, pois ela está no inicio de sua jornada, vazia, aguardando por tudo isso. Nessa etapa da vida, ela aprenderá muito com aqueles que estão do seu lado.

Desse modo, seu cérebro, embora ainda vazio de informações, de memórias, das regras operacionais do mundo, já possui a capacidade involuntária de memorizar qualquer coisa capaz de ser detectada pelos seus cinco sentidos. Receberá assim as primeiras informações, vindas de outro adulto, que já sabe das coisas, que já vive estas coisas, que já faz parte de um mundo existente, que repete suas regras morais, materiais e espirituais, desde incontáveis gerações.

E como os adultos, elas também serão ensinadas a repetir. Se já existe em cada ser humano um potencial inato, para através da repetição, apreender as coisas que lhe sejam necessárias à sobrevida na terra, os adultos, que já são mestres no repetir de velhas regras, mitos e tradições, tenderão a repassar todo processo pelo qual os mesmos já passaram, às suas crianças.

E todas as regras de funcionamento de qualquer coisa existente em nosso mundo, serão simplesmente copiadas, de uma mente para outra, do mesmo modo que se duplica um livro já publicado. E do mesmo modo que se revisa um livro, também, eventualmente, alguma ressalva é acrescentada a tudo que já existe, e basicamente é a isso que chamamos de pensar. Assim, para nós, repetir velhos procedimentos técnicos ou sentimentais, significa pensar.

Se observarmos uma criança a brincar, entretida com um brinquedo do qual ela realmente gosta, parecerá a mesma separada do resto do mundo. Nesse processo de atenção total, ela não segue nenhuma regra estabelecida, ela cria suas próprias alegorias, de forma livre, ignorando mesmo o conhecimento rígido que possua sobre outras brincadeiras que lhe são familiares. Poderá até repetir gestos, rotinas de atividades que já conhece, mas a exemplo da capacidade de andar, onde o pensamento não interfere, assim também nesse momento sucederá.

Longe da rigidez das regras pré-estabelecidas, onde o pensamento não está exigindo, comparando, seguindo regras que não podem ser quebradas, ela fica a vontade para criar, sem medo dos censores, sem medo de castigos, sem a obrigação de agradar para receber recompensas. Nesse estado de ignorar os próprios pensamentos, ela se torna inteligente. Não é dependente nem prisioneiro de ninguém, de nenhuma lei, não precisa seguir roteiros conhecidos, está disposta a criar seu próprio caminho.

Cumpre ao educador compreender o que significa este não pensar, e apenas assim, terá dado o primeiro passo rumo ao que de fato significa pensar. Ao perceber que não pensa, estará pela primeira vez, pensando. Não se trata de jogo de palavras, mas a simples constatação de que aquilo que ele chama de pensamento, de fato não é pensamento, apenas discordância ou concordância, já demonstra inteligência.




Autor: Jon Talber

0 comentários:

Entrego este Blog para todos vocês

Entrego este Blog para todos vocês
DEUS vos abençõe

CHAMA

CHAMA

LUZ VIOLETA

"EU SOU um ser de Luz Violeta! EU SOU o Amor que DEUS deseja!"

Fixe seus olhos na Chama Violeta, visualize o seu corpo dentro dela, a chama violeta penetra no seu corpo. A chama violeta se expande, se expande, se expande cada vez mais, transmutando e purificando tudo em nós e à nossa volta que não seja paz , equilíbrio, bem-estar, amor, harmonia e luz.

(O exercício pode ser feito substituindo as palavras paz, amor, ..., por exemplo: sua casa, seus parentes, uma situação...)

TUBO DE LUZ

Deus Todo-Poderoso, presente em meu coração:

Projeta em torno de mim um tubo de força eletrônica.

Torna-o tão possante que nada de mal possa atravessá-lo.

Faz que eu seja invisível, invencível, invulnerável

a tudo que não é teu amor, tua sabedoria e teu poder.

Obrigado, Ó Deus Todo-Poderoso, tú atendeste ao meu apelo!

(visualize um tubo de Luz branca ao seu redor a um metro e meio de distância)

MINHA ALMA

MINHA ALMA
A minha fotografia
ANALUZ
Infinitamente sonhadora... O meu maior sonho: - encontrar o sentido da VIDA
Ver o meu perfil completo

KODOISH, KODOISH, KODOISH ADONAI 'TSEBAYOTH

KODOISH, KODOISH, KODOISH ADONAI 'TSEBAYOTH



é o nome sagrado mais poderoso que conhecemos.

A sua tradução é Santo, Santo, Santo é o Senhor Deus das Hostes. É muito usado para proteção espiritual em geral e também para discernir os seres de Luz dos seres caídos.



Essa é a saudação usada pelos seres de Luz para saudar o Trono do Pai (Deus). Quando repetimos esse nome com essa mesma intenção, imediatamente ficamos alinhados com a Luz do Altíssimo Deus e essa emanação preenche todo o nosso ser e nos liberta de todo vínculo energético que não esteja alinhado com esse mesmo princípio.






COMO USAR ESSE NOME?


É simples! Basta repetí-lo com respeito por pelo menos três vezes. Pode ser falado em voz alta ou apenas mentalmente. Experimente!

ANJOS DO DISCERNIMENTO

Divinos Anjos do Discernimento, peço perdão por todo o carma acumulado. Que vossa divina presença ilumine meu caminho, desperte minha intelig6encia superior e me dê o divino discernimento de que preciso nesta hora de prova. Minha mente está confusa, então solicito luz para ver a senda espiritual. Uma rocha acesa para iluminar a escuridão. Que nunca me sinta sozinho nem afastado dos outros seres. Peço sabedoria para perceber a presença de Deus em todos os corações humanos. Tenho fé no poder espiritual, que me protege e orienta.

Video Bar

Loading...

CANTO DAS ORAÇÕES

CANTO DAS ORAÇÕES
clique na imagem e aceda

A ALMA MAIS PURA que habitou a terra

A ALMA MAIS PURA que habitou a terra

"Duvide de si mesmo e você duvidará de tudo que vê. Julgue a si mesmo e você verá juízes por toda parte. Mas se você ouve o som de sua própria voz, você consegue elevar-se acima da dúvida e do julgamento. E você consegue ver eternamente." (Nancy Kerrigan)

E POR QUE ATENTAS TU NO ARGUEIRO QUE ESTÁ NO OLHO DO TEU IRMÃO E NÃO REPARAS NA TRAVE QUE ESTÁ NO TEU PRÓPRIO OLHO?

Lucas 6.41 (arc)


«Por isso vos digo: Não estejais ansiosos quanto à vossa vida, pelo que haveis de comer, ou pelo que haveis de beber; nem, quanto ao vosso corpo, pelo que haveis de vestir. Não é a vida mais do que o alimento, e o corpo mais do que o vestuário?



Olhai para as aves do céu, que não semeiam, nem ceifam, nem ajuntam em celeiros; e vosso Pai celestial as alimenta. Não valeis vós muito mais do que elas?



Ora, qual de vós, por mais ansioso que esteja, pode acrescentar um côvado à sua estatura?



E pelo que haveis de vestir, por que andais ansiosos? Olhai para os lírios do campo, como crescem; não trabalham nem fiam, contudo vos digo que nem mesmo Salomão em toda a sua glória se vestiu como um deles.



Pois, se Deus assim veste a erva do campo, que hoje existe e amanhã é lançada no forno, quanto mais a vós, homens de pouca fé?



Portanto, não vos inquieteis, dizendo: Que havemos de comer? ou: Que havemos de beber? ou: Com que nos havemos de vestir? (Pois a todas estas coisas os gentios procuram.) Porque vosso Pai celestial sabe que precisais de tudo isso.



Mas buscai primeiro o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas.



Não vos inquieteis, pois, pelo dia de amanhã; porque o dia de amanhã cuidará de si mesmo. Basta a cada dia o seu mal. Mt. 6.25-34»




A GRANDE INVOCAÇÃO


Do ponto de Luz na mente de Deus,

Que flua Luz à mente dos homens

E que a Luz desça à Terra.

Do ponto de Amor no coração de Deus

Que flua amor ao coração dos homens

Que Cristo retorne à Terra.

Do centro onde a vontade de Deus é conhecida,

Que o propósito guie as pequenas vontades dos homens,

Propósito que os mestres conhecem e servem.

Do centro a que chamamos a raça dos homens

Que se realize o plano de Amor e de Luz

E se feche a porta onde se encontra o mal.

Que a Luz, o Amor e o Poder

Restabeleçam o Plano Divino sobre a Terra

Hoje e por toda a eternidade. Amém.

******* *******

 

W3C Validations

Cum sociis natoque penatibus et magnis dis parturient montes, nascetur ridiculus mus. Morbi dapibus dolor sit amet metus suscipit iaculis. Quisque at nulla eu elit adipiscing tempor.

Usage Policies